Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ouvi Sentir o Amor

Amigos: Este é um local de partilha em busca do auto-conhecimento! Através de uma viagem ao mundo interior iremos encontrar recursos que melhorem os desconfortos emocionais. Sinto que tudo vai melhorar! Abraço, Isa Pedrosa

Ouvi Sentir o Amor

Amigos: Este é um local de partilha em busca do auto-conhecimento! Através de uma viagem ao mundo interior iremos encontrar recursos que melhorem os desconfortos emocionais. Sinto que tudo vai melhorar! Abraço, Isa Pedrosa

26.01.18

EMOÇÃO


Isa Pedrosa

 

Amigos, nós somos seres emocionais! No entanto é preciso avaliar que tipo de emoção é a nossa! 

Sejamos francos na análise que fazemos de nós próprios! Nós temos que aprender a nos conhecer! Temos que nos comparar com Jesus perceber que é necessário fazer um esforço para a mudança! Se somos uma pessoa exaltada, se somos indiferentes, se temos emoções de cólera,  de superioridade, de culpa, enfim somos a emoção que temos, nem que seja por um instante. Se nos exaltamos facilmente, se fomos rudes com alguém, se conspiramos a vida de outra pessoa, sejamos francos connosco. Necessário é também perceber quando temos emocões felizes, de amor, de gratidão... e perceber o quanto vale a pena ser tranquilo! 

Equilibrar a emoção deixa-nos mais livres de queixas e azedumes... Imagine voçê indispôr-se porque foi maltratado numa instituição pública. Afinal aquela pessoa que o maltratou não está preparada para lidar com o público. É só o que tem que pensar! No entanto voçê não consegue sair dali sem reclamar a sua insatisfação. Faça serenamente a sua reclamação. Não precisa de "engolir sapos" mas não não grite não reaja da mesma forma como lhe trataram. Nem utilize o mesmo tom. Respire fundo e reclame calmamente em local apropriado. Todos os locais têm apoio ao cliente, ou faça por escrito. Pense antes de falar para não sair ainda mais nervoso. Você conhece-se.

Treine o seu comportamento, nada de culpar o outro. Pense prioritáriamente em si.

A forma com o outro o trata não é culpa sua. Saia confortávelmente dessa situação sem discutir, sem falar alto, ponha os nervos de lado.  

Ontem fui a um estabelecimento público e fui maltratada. Rápidamente analisei o problema e detetei que a pessoa estava desestabilizada. Pedi a Deus amor por ela. Podia ter reclamado por escrito ou sei lá! Não o fiz... 

Isto aconteceu porque eu fiz uma análise imediata sobre a minha e a reação do outro. E tentei gerir de forma que o resultado fosse passivo. 

Fui para casa tranquilíssima. De nada vale aborrecer-me.

Abraço